Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Transformação do Traçado Urbano da Cidade


Arquiteto vai comandar projeto que vai redesenhar SP

Fernando de Mello Franco coordenará Arco do Futuro

MARIO CESAR CARVALHO

DE SÃO PAULO

O projeto mais ambicioso do prefeito eleito Fernando Haddad, o Arco do Futuro, será tocado por um arquiteto que é considerado brilhante pelos seus pares, mas não tem experiência política.

Fernando de Mello Franco, 48, o futuro secretário de Desenvolvimento Urbano, foi escolhido pelo prefeito para transformar o traçado urbano da cidade, herdado do plano de avenidas do prefeito Prestes Maia (1896-1965).

Prestes Maia criou a partir de 1930 uma cidade radial, com avenidas ligando o centro aos bairros. O plano teve dois efeitos perversos: ocupou os fundos de vale, uma das causas das enchentes, e sobrecarregou o centro.

A tese de doutorado de Mello Franco é justamente sobre como a cidade foi construída. Chama-se "A construção do caminho". Defende a tese de que as várzeas e os rios foram determinantes na estruturação da metrópole.

O Arco do Futuro que Mello Franco buscará implantar tem como objetivo reverter essa lógica, conectando as áreas periféricas da cidade.

HARVARD

O futuro secretário tem credenciais acadêmicas para a empreitada: deu aulas no curso de arquitetura da USP de São Carlos por 13 anos e foi professor visitante de Harvard, uma das melhores universidades dos EUA.

Sócio do escritório MMBB desde 1991, Mello Franco sempre atuou em projetos que têm uma interface pública. Com Milton Braga e Marta Moreira, projetou corredores de ônibus (1995-1996), o terminal do parque Dom Pedro (1996) e a garagem do parque Trianon (1996-1999). O terminal foi feito em parceria com Paulo Mendes da Rocha, o mais influente arquiteto paulista.

O escritório criou um projeto urbano para Paraisópolis, que transforma o córrego Antonico em eixo e uma espécie de praia da favela.

O MMBB também projetou, com o escritório H+F, um conjunto habitacional com 252 unidades no cruzamento da avenida Roberto Marinho com a Berrini. O caráter público da obra está no térreo. O projeto prevê a construção de uma escola de gastronomia e restaurante.

O crítico de arquitetura Fernando Serapião, editor da revista "Monolito", diz que Mello Franco "nasceu para isso" [ser secretário de Desenolvimento Urbano].

"Ele é o arquiteto e urbanista de sua geração mais preparado para essa função. Se deixarem, tenho certeza de que fará um excelente trabalho." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários